SindForte Participa de palestra sobre Assédio Moral

   Ontem, dia 22, o SindForte, através de uma comitiva de 13 dos seus dirigentes, participou no Ministério Público do Trabalho, de uma palestra sobre Assédio Moral, no ambiente bancário.  Como não poderia deixar de ser, a massiva participação do SindForte foi motivada pelo tema que é recorrente, não só nos estabelecimentos bancários, mas em quase todas as repartições onde seus dirigentes usam da prepotência, se utilizam do poder de seus cargos, para sub julgar e humilhar os que vêm logo abaixo na hierarquia funcional.

A categoria dos vigilantes sofrem bastantes abusos: o Assédio Moral é um deles, “Não poderíamos deixar de participar de uma palestra tão importante, com um tema tão presente em nosso dia a dia, por isso, trouxemos quase todos os nossos diretores, para que possamos ter uma noção mais ampla e podermos absorver o tema com maior e melhor quantidade”, disse um dos representantes do SindForte.

O abuso de poder, constrangimento funcional, humilhação dentre outras ações que caracterizam o Assédio Moral, se dá em empresas que não se posicionam bem com a ética e não se preocupam com seus clientes, que mais cedo ou mais tarde, ao perceberem como são tratados seus funcionários e, portanto, poderão receber o mesmo acolhimento, farão opção por seu concorrente que oferece e faz das boas praticas uma regra.

O Assédio Moral é um tiro no pé dos empresários que ainda não tiveram a percepção que as relações com seus funcionários (hoje, até chamados de colaboradores), mudaram e principalmente, as trabalhistas e sindicais. O SindForte vem atuando fortemente contra esta nefasta e abusiva prática aplicada por muitos dos gerenciadores das empresas de valores, tendo consciência que tais ações são muitas vezes motivadas por problemas psicológicos, onde seus praticantes são prisioneiros de frustrações, portanto, tentam a todo custo descontar em seus subordinados, O SindForte tem a missão de erradicar o Assédio Moral contra a categoria dos vigilantes do Rio Grande do Norte, nem que para isto tenha que levar tantos quantos forem necessários ao banco dos réus.

“Não se pode conceber uma empresa que tenha pretensões de sucesso no mercado em que atua, pratique o Assédio Moral em pelo século XXI, e nós do SindForte lutaremos com todas as armas legais para acabar com essa falta de vergonha”, disse o Tertuliano Santiago, presidente do Sindforte.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *