SINDFORTE-RN, DADOS DE ADOECIMENTO NAS ATIVIDADES DE CARRO FORTE APONTAM UM AUMENTO DE 67% EM 2019.

O índice de adoecimento nas atividades diárias apresentados pelos dados do Centro de Referência em Saúde do Trabalhador Cerest Natal-RN, aponta a dura realidade da atividade dos vigilantes de carro forte aqui no Estado/RN, e no Brasil.  Dos atendimentos realizados pela equipe do centro de referência em saúde do trabalhador, identificou que das grandes empresas de transporte de valores instaladas aqui no Estado do Rio Grande do Norte, ressalta-se que “53%”, dos pacientes atendidos no período de 2011 à 2018, são trabalhadores da empresa Prosegur Brasil, isso significar dizer quer a cada (01) uma guarnição (02) dois vigilante adoecem na atividade.

Os atendimentos e especialidades buscados pelos trabalhadores da categoria de vigilantes de carro forte, no decorrer do ano de 2019. Apontam que houve um aumento bastante significativo de 67% nos atendimentos em especialidade de Medicina Psiquiatria.

Para o presidente do SINDFORTE-RN, além dos atestados médicos por problemas psicológicos, os trabalhadores também se afastam da profissão por causa de danos físicos relacionados a crimes contra ataques a carros-fortes, caixas eletrônicos e outras ações de assaltantes. Para Marcio Figueredo, a recorrência dos casos acaba prejudicando os funcionários. “O trabalhador de uma empresa dessas trabalha o tempo inteiro pressionado psicologicamente e por causa disso temos essa média de Trabalhadores afastados por problemas de saúde. E grande parte destes trabalhadores que entram com atestado médico se recuperam pouco, voltam a trabalhar, mas em menos de um mês voltam a colocar atestado. Eles são vistos com outros olhares pelas empresas e na primeira oportunidade, acabam sendo demitidos”, completa

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *