SindForte/RN faz assembleia em frente a sede da Prosegur

       O SindForte/RN, depois de várias tentativas de negociações frustradas com a Prosegur, para que a empresa voltasse atrás nos atuais procedimento que agride violentamente a saúde e principalmente a segurança do vigilantes do transporte de valores do Estado do Rio Grande do Norte, fez ontem (03), uma assembleia com a categoria em frente a sede da Prosegur Natal, mostrando aos trabalhadores da base que a empresa não se importa com à segurança dos trabalhadores.

       Após uma ação civil pública promovida pela Procuradoria Federal do Trabalho 21ª região, a Prosegur entrou em desespero para fugir de uma antecipação de tutela proferida pelo juízo do TRT 21ª região, para isso, vem mudando procedimentos para burlar a decisão judicial, que gera multa diária de 20.000,00 (vinte mil reais) a cada descumprimento.

       “Que fique claro, que o SindForte/RN impulsionado pela categoria não cruzará os braços e não vai esperar que tenhamos uma vida perdida por causa da falta de escrúpulos que a Prosegur implementa aos trabalhadores, onde o gerente regional fala que “Vigilante recebe 30% para isso” ou seja que a gestão pouco se importa se houver morte de trabalhadores nestes procedimentos irresponsáveis que a empresa submete esses pais de família. Está na hora de darmos um basta neste tipo de gerenciamento que trata a vida dos trabalhadores como se não valesse nada”, disse Tertuliano Santiago, presidente do SindForte.

        Como é costumeiramente, a Prosegur não apresenta respeito algum com os seus funcionários, se sentindo acima de tudo e de todos, a empresa tenta penalizar seus funcionários executando os procedimentos da intrajornada (horário de almoço) de forma não apropriada, outro quadro grave que atenta para falta de segurança do vigilante armado, é a retirada de 2 profissionais do serviço de carro leve, onde são necessários 4, fragilizando a segurança dos profissionais vigilantes, onde o gerente regional da empresa disse que os vigilantes ganham os 30 % de periculosidade para isso.

       É bom lembrar que o SindForte juntamente com o Ministério Público do Trabalho ganharam uma causa contra a própria Prosegur, no valor de 15 milhões, pelas mesmas razões.

Separados somos fracos, unidos somos imbatíveis!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *