SINDFORTE/RN FAZ ASSEMBLEIA EM NATAL E MOSSORÓ

         Nos dia 23-24/03, o SindForte/RN, realizou assembleias em Natal e em Mossoró, para informar o andamento das negociações salariais data base da categoria, fez um raio “X” da atual situação nos mínimos detalhes expondo e garantindo a todos os associados total transparência dos acontecimentos.

       Como era de esperar, a categoria se fez presente em peso, mais de 200 pessoas lotaram as dependências do auditório do Clube de Oficiais da Polícia Militar, em Natal e em Mossoró, a assembleia aconteceu no estádio do Leonardo Nogueira (Nogueirão), numa clara exibição de unidade, os vigilantes compareceram em massa.

       Participaram da assembleia, em Natal/RN, o sindicalista Iran Marcolino, como representante da CNTV, o vigilante e vereador de Natal, Sandro Pimentel (PSOL), o advogado do sindicato DR. Oderley Rezende e Lindomar Batista, ex-diretor do SindForte/RN.

     Na ocasião entrou em pauta o momento econômico vivido pelo país, debate feito para tornar consciente os presentes que mais cedo ou mais tarde, a classe patronal irá usar esta fragilidade econômica como argumento para tentar engessar o andamento das negociações. No momento das explanações a plateia reagiu uníssona, às possíveis chantagens. “Temos a plena consciência do momento econômico, mas também sabemos que os patrões tem uma margem de lucratividade altíssima, portanto, não vamos ceder à chantagem, iremos sim, com pulso firme e com a união da categoria somadas ao G4 (AL, PE, PB e RN), avançar em ganhos dignos para nossas famílias e com o impulso que tomou a categoria dentro e fora deste grupo interestadual, essas diretorias lutaram o melhor combate na defesa de todos”, disse Tertuliano Santiago, presidente do SindForte.

         Na mesma linha de pensamento, o vereador e vigilante Sandro Pimentel, ressaltou a importância da união da categoria neste instante em que a categoria negocia sua data base. “Não podemos nos iludir que, a intensão dos patrões esse ano é cortar os nossos direitos e tentar destruir o G4, onde fica definido que com essa união dos trabalhadores em caso de enfretamentos não será paralisado apenas um estado e sim todos que formam o bloco consolidando, uma união já mais vista pela classe patronal em data base, se um estado parar os outros estados também param se não tiver um consenso nas negociações”, disse. Sandro também repudiou com indignação o atentado sofrido pelo presidente do SindForte, Santiago”., complementou.

         O atentado a Santiago motivou sua diretoria e toda categoria dos vigilantes, amigos e democratas apoio total ao sindicalista e uma ação de repúdio ao ato covarde e criminoso. “A diretoria, a categoria não vão permitir que sejamos ameaçados de morte como ocorreu na ultima quinta-feira, dia 19/03/15, com o companheiro Santiago, e ficarmos passivos, vamos reagir através das vias legais, confiamos nas Leis, nas forças constituídas: Polícia Militar, Civil e Federal na apuração e levando à cadeia os executores e mentores desta agressão à democracia, ao movimento sindical norte-rio-grandense e brasileiro”, afirmou Rômulo Pessoa, assessor de comunicação do SindForte.

       O companheiro Iran Marcolino, ratificou que o movimento sindical não tem fronteiras quanto à luta dos trabalhadores e da importância dessa nova forma de luta, o advento da criação do G4, onde em consonância criou-se a Carta de Olinda, possibilitando diversos pontos comuns à serem discutidos coletivamente com os patrões , impondo uma força e uma nova modalidade de abordagem à classe patronal.

Separados Somos Fracos, Unidos Imbatíveis!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *