A Carta é nossa

         Em 2011, um grupo de vigilantes, despretensiosamente e pressionados por uma administração caótica irresponsável e peleguista, foi obrigado a idealizar um novo sindicato que tivesse como razão nada mais nada menos que a defesa do trabalhador vigilante: Assim nasceu o SindForte.

         Desde então foram 4 anos de lutas, batalhas, vitórias e muito esforço dedicação de uma diretoria que se mostrou incansável diante dos enormes obstáculos e entraves oferecidos pelo patronal e pessoas com interesses únicos de tentar impedir o avanço das conquistas dos vigilantes.

       Mesmo sem a Carta Sindical, que daria de direito, porque de fato, o SindForte/RN, já era uma entidade que alcançaria vitórias jamais vistas em toda história da luta sindical no Estado do Rio Grande do Norte: estão os 30% periculosidade, a extinção do banco de horas, ar condicionado em todos os carros fortes, a regulamentação da carga horária para 44horas semanais, 13 ações coletivas de trabalho, várias denúncias no MPT, dentre outras. Sua estratégia de ação, sua condução nas negociações e principalmente sua política sindical foram decisivas, credenciando o SindForte como espelho para outras entidades, em outros estados, até chegar ao grupo dos 4, isto é, criar um grupo de 4 estados: Pernambuco, Alagoas, Paraíba e o Rio Grande do Norte, onde foi editada a Carta de Olinda, documento que permite os membros fazer negociações conjuntas, independente de data bases diferentes.

       “De fato, o SindForte/RN deu um salto de qualidade nas negociações e ganhos para a nossa categoria , porém, temos que ter humildade e entender que o quê fizemos foi com a força da união de todos os sindicalizados, tivemos um grande suporte da CNTV, e, claro, que fizemos isso tudo, todas as conquistas ainda não tínhamos a Carta Sindical, Mas, não é porquê temos a Carta Sindical, que vamos nos acomodar e achar que ela por si só trará novas vitórias, agora é que vamos trabalhar com afinco, com mais ânimo, vamos potencializar nossos esforços para superar outras dificuldades que virão, a diferença é que agora estamos amparados pela Lei, estamos com nossa Carta”, Falou Santiago, presidente do SindForte.

         Agora, de fato e de direto, o SindForte/RN é um sindicato com seu registro de nascimento definitivo. Foi outra luta para garantir aos vigilantes o SindForte, pois muitos, que se auto-intitulam defensores dos trabalhadores fizeram de um tudo para barrar, protelar e até impugnar a garantia da Carta Sindical do SindForte, porém a justiça prevaleceu e o SindForte detém, definitivamente sua Carta Sindical.

         “Só nós sabemos o que tivemos que aturar, ouvir de muitos que não erámos sindicato, pois não tínhamos a carta, pois então, agora temos”, Disse um diretor do SindForte/RN.

Separados somo fracos, unidos somos imbatíveis!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *