SindForte: Mais uma vitória da união

       Depois de uma paralização de advertência, feita pelo SindForte, a BRINK’S decidiu abrir diálogo com a categoria, em reunião no dia de ontem, 20, na sede do sindicato.

     Presentes os senhores Tertuliano Santiago, Rômulo Santana, Cláudio de Lima Marcos Aurélio, Lindomar Batista, presidente do Sindforte e diretores, respectivamente, e o companheiro José Boa Ventura, Presidente da Confederação do Vigilantes, além do Advogado da BRINK’S, Dr. André e o Senhor Lindemberg Lima Santana, vice-presidente e diretor de operações.

O Sindforte exigiu a saída imediata do gerente local, senhor Gleidson Douglas, que é uma unanimidade, “persona no grata” entre a categoria, por perseguir, cometer assédio moral, além de desrespeitar os intervalos “intrajornadas” e “interjornadas”.

O diretor do Sindicato, Francisco Cláudio da Silva e o Presidente da Confederação Sr. José  Boa Ventura, foram enfáticos ao falarem sobre as escalas exaustivas as quais os trabalhadores estão sendo submetidos, comprometendo a saúde e pondo em risco a segurança, haja vista que a manutenção dos veículos é de péssima qualidade ou não existe.  Foi colocado o “acordo coletivo de trabalho” sobre as refeições após os 180 minutos de trabalhados, que não estão sendo pagos pela BRINK’S.

Foi acordado o afastamento do gerente da filial local. A empresa irá colocar dois carros um zero km, outro com poucos kms rodados e consertar os carros que estão com problemas, no período máximo de vinte dias; consertar mais três carros que estão parados há sessenta dias e no mesmo período uma caminhão cegonha chegará com quatro carros, com ar condicionado e irá fazer a retirada dos carros quebrados, em quarenta dias serão colocados ar condicionados nos restantes; contratar quatro guarnições de carros fortes e uma de carro leve, para minimizar a carga horária dos funcionários e psicólogos na empresa a disposição do trabalhador.

A BRINK’S, neste período, irá colocar um novo gerente junto com o senhor Douglas – atual gerente-, para fazer uma avaliação de desempenho organizacional. Logo após o carnaval haverá outra mesa redonda para se fazer uma verificação, se houve, de fato, progresso e se foram cumpridos todos os pontos da pauta discutida e conciliada.

Um dos pontos importantes que foram tratados a clausula 33, da convenção coletiva, que diz respeito ao vale refeição extra após 180 minutos carga horária, em primeiro ato, que será pago no máximo em uma semana, logo em seguida abriremos negociação com o NUVAL.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *