Violência e truculência moral , são as armas da Prosegur contra o trabalhador

Violência e truculência moral , são as armas da Prosegur contra o trabalhador

       Seguindo seu manual de perversidade contra o trabalhador, a Prosegur comete mais um atentado contra a categoria dos vigilantes. Por pura incompetência administrativa a empresa faz vítimas , 15 funcionários, demitindo-os.

         É sabido que a má gestão da Prosegur não a torna competitiva, erros primários são cometidos diariamente expondo sua frágil incapacidade de ganhar novas concorrências e perdendo as que possui levando a penalização dos vigilantes, seu maior patrimônio.

         O SindForte/RN, porém, não permitirá que a incapacidade, ignorância e inabilidade gerencial dos gestores da Prosegur venham prejudicar a categoria. É recorrente esta empresa desdenhar das Leis do Trabalho, mas, também é uma realidade que vem perdendo várias ações na justiça trabalhista exatamente por falta de habilidade, falta de diálogo ou de uma ação consensual, para Prosegur conhecida, apreciada e aplicada por seus dirigentes é a linguagem da truculência, da violência moral contra os trabalhadores.

       Após o gerente regional dizer que a vida do vigilante só vale 30% o sindicato não ficou omisso e agora em um ato desesperado o gerente regional da empresa demite dirigentes sindicais . É quase impossível tentar entender a missão da Prosegur, isto porque ela trabalha contra o trabalhador e contra si mesma. Se não vejamos: Ela demite sindicalistas que fazem parte da diretoria do SindForte/RN .

     O SindForte/RN, já agiliza seu departamento jurídico para acionar judicialmente a empresa. “Não é possível que os dirigentes desta empresa sejam tão cegos, obtusos e não percebam que a truculência, a violência verbal e moral são ferramentas usadas na idade média, não é possível que não vejam a imensa incompetência como são destinados as demandas trabalhistas causadas por esta política retrógada. Por outro, lado nós não abriremos mão de combatê-la no campo legal, é o que faremos agora, em relação a estas demissões sem cabimento”, disse Tertuliano Santiago, presidente do SindForte/RN.

Separados somos fracos , unidos somos imbatíveis .

 

Related Posts