MATAR OU MORRER

          Após a guarnição de Transporte de Valores da empresa Prosegur da cidade de Mossoró/RN, na região do auto oeste, dia 14/03, ter sido alvo de uma ação criminosa por parte de bandidos, depois dos trabalhadores estarem afastados para se recuperar do acidente de trabalho  que sofreram, a empresa espanhola agora achou por direito de demitir por justa causa o trabalhador Juscelino LindemBerg Fernandes, que estava no ocorrido e que ficou afastado por transtorno psicológico por três meses, logo após se sentindo em condições de voltar a trabalhar o mesmo ao chegar na empresa ontem 01,para iniciar a sua nova jornada na vida e no  trabalho, se deparou com a notícia de que não fazia mais parte do corpo operacional da empresa e além do mais com uma demissão por justa causa que a empresa não se deu ao “desfrute” de informar o motivo.

          Será que a empresa está demitindo o trabalhador por justa causa porque o trabalhador decidiu salvar a sua vida ao invés de trocar tiros com os bandidos, ou será que ela queria que os trabalhadores ficassem dentro do carro forte para que os bandidos estourassem os trabalhadores junto com o carro forte e o dinheiro?

          O SINDFORTE/RN, esteve em frente da filial da Prosegur em Mossoró realizando um ato em defesa do trabalhador Juscelino Lindemberg Fernandes, pedindo a reintegração  do trabalhador as suas atividades laborais tendo em vista que o trabalhador não tem nada que desabonasse a sua conduta para que o levasse a uma punição tão severa a este ponto, sabendo que, esta é a punição mais severa a um trabalhador vigilante devido ter que comprovar a sua honestidade de dois em dois anos para conseguir se reciclar e permanecer em seu emprego.

          A gestão da Prosegur Mossoró informou que a ordem de demitir o Juscelino, não partiu dele e que o sindicato poderia fazer o que achasse melhor, além de ter solicitado as imagens  para saber quem estava participando do ato em frente da empresa.

          O SINDFORTE/RN, deixa aqui a sua repudia com a administração desta empresa aqui no Estado, e sabe que a prática da Prosegur a nível nacional e internacional é esta, maltratar os funcionários, escravizar e punir sem motivo, para que os trabalhadores se sintam acuados e não busquem os seus direitos, assim elevando mais ainda a sua riqueza e precarizando a sua mão de obra e nos levando a tomar medidas judiciais e alimentando ainda mais as denuncias já firmadas no MPT (Ministério Público do Trabalho) e também na OIT(Organização Internacional do Trabalho).

SEPARADOS SOMOS FRACOS, UNIDOS SOMOS IMBATÍVEIS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *